A VILA DE SERRA GRANDE

Serra Grande conserva 20 km de praias primitivas em meio a águas claras e mornas, que dividem a paisagem com as ainda remanescentes fazendas de cacau. Existem várias vilas: a Vila Alta, no alto do morro, onde se encontram os principais comércios e atividades culturais, e as Vilas Praianas, no Pé de Serra e na Praia do Sargi, onde ficam hotéis, pousadas e casas para temporada.

HISTÓRIA

A Vila de Serra Grande foi fundada em 1941, quando o proprietário destas terras, Sr. Pedro Gomes de Lima, sentindo-se isolado no meio da mata fechada, resolveu doar terrenos a agricultores que ali chegaram.

Do antigo povoado fundado em 1906, denominado de Água-Preta do Mucambo, por serem escuras as águas que banhavam a localidade, surgiu o município de Água Preta.

Em 1922 foi elevado à condição de sede do distrito, em 1929 passou à condição de Vila, para em seguida tornar-se município. Porém, em 1930, o município foi extinto e seu território reintegrado ao município de Ilhéus.

Em 1943, restabelecido como município, passou a chamar-se de Uruçuca.

Em 1997 o Governo do Estado criou o Parque Estadual da Serra do Conduru, parte integrante da Área de Proteção Ambiental (APA) Itacaré Serra Grande, como medida compensatória à construção da Rodovia BA001 - Estrada Parque, entre Ilhéus e Itacaré.

SERRA GRANDE HOJE

Atualmente o distrito de Serra Grande ocupa a faixa litorânea do município de Uruçuca (urucu: grosso, gordo, abelha grande e côa – mato, erva), entre os rios Tijuipe e Sargi.

Na Vila de Serra Grande passeia-se tranquilamente e pode-se apreciar e adquirir as belas peças do artesanato local. A praça central é um convite para o bate-papo de fim de tarde acompanhado de uma boa tapioca.

As águas da Represa de mesmo nome, conhecida por suas propriedades terapêuticas (há quem diga que são afrodisíacas) convidam para um bom mergulho e também para uma roda de samba nas tardes dos finais de semana.

A região é propícia à prática de Montanhismo, Eco-Turismo, Traking, Turismo de Aventura, Montain Bike e é largamente utilizado em pesquisas e em estudos com finalidade de preservação e reestruturação da Mata Atlântica. É nas serras do Parque do Conduru que os rios de Contas e Almada recebem as chuvas que os alimentam e formam a Lagoa Encantada que também vale a pena visitar.

CACHOEIRAS E TRILHAS

Poços intercalados por pequenas quedas d’água são uma constante ao longo do Rio Tijuipinho, no município de Uruçuca. Destaque para a Cachoeira do Zé Maria e o Poço do Robalo.

Trilhas ladeadas de Mata Atlântica levam a cachoeiras e lagos, onde a melhor pedida é aproveitar a natureza, se banhando em lagos formado pelas cascatas.

No povoado, a cerca de 80m do nível do mar, descortina-se uma vista deslumbrante do trecho do litoral que vai até a cidade de Ilhéus. Tranqüilidade é a palavra de ordem neste lugarejo rústico, cercado de extensos coqueirais, riachos e cachoeiras.